1-1.jpg.webp

Sensibilidade, exposição e capacidade adaptativa de tipologias urbanas aos impactos das mudança climática

As metrópoles brasileiras são caracterizadas por problemas de ocupações irregulares, grande crescimento da demanda por recursos naturais, sobretudo água, ausência de governança colaborativa e de preparo das autoridades para lidar com questões complexas (JACOBI, PAZ, LEÃO et al., 2013). Além disso, estas características refletem os complexos cenários urbanos latino-americanos, cuja informalidade repercute, dentre outras, na fragilidade ambiental, como a relação das cidades com os corpos hídricos (INOSTROZA, 2017); e brasileiro, cujo processo de urbanização foi acompanhado de intensificação da periferização na década de 1950, das diversas ações de retificação de corpos hídricos urbanos e crescimento populacional e urbano desenfreado (MARICATO et al., 2010).

Tais características devem permanecer crescentes no Brasil e na América Latina, o que torna ainda mais preocupante considerando que os sistemas urbanos possuem alta exposição e vulnerabilidade diante dos eventos climáticos de curto e longo prazo das mudanças climáticas (ETINAY et al., 2018; RANI et al., 2020.; IPCC, 2014). A vulnerabilidade e exposição da população urbana tem aumentado em relação ao clima mais concretamente devido ao aumento da densidade populacional, à ocupação de áreas de risco, ao aumento de demandas hídrica, energética e alimentar (MARICATO et al., 2010; JACOBI, PAZ, LEÃO et al., 2013; COUTINHO; KRAENKEL; PRADO, 2015; TAPIA et al., 2017; COUTINHO; RAMOS, 2018). As principais ameaças climáticas aos sistemas urbanos são ondas de calor, desastres geohidrológicos, secas. Esta última, apesar de menor ocorrência em localidades urbanas, vem aumentando pela carência de planejamento integrado e gerenciamento dos recursos hídricos, haja vista o caso da crise hídrica em São Paulo em 2015 (COUTINHO; KRAENKEL; PRADO, 2015).

Considerando tais problemáticas, o foco deste projeto está no desenvolvimento de análises de vulnerabilidade e exposição urbana aos riscos de impactos de mudanças climáticas, considerando os principais aspectos:

  • Proposição de tipologias de cidades e áreas urbanas, por meio dos aspectos de vulnerabilidade urbana;

  • Avaliação da resiliência e da capacidade adaptativa em sistemas socioecológicos urbanos no contexto de impactos climáticos observados, considerando abordagens colaborativas com tomadores de decisão locais;

  • Construção de indicadores de desempenho de capacidade adaptativa para as cidades em relação ao Setor de Segurança Hídrica;

  • Proposição de cenários tomando como base os impactos observados, as tipologias de cidades e áreas urbanas, e aspectos relacionados à resiliência, e;

  • Avaliação dos principais fatores que trazem maior dificuldade de adaptação das cidades frente às ameaças climáticas numa perspectiva regional, atual e de cenários climáticos e socioeconômicos.

Responsáveis pelo projeto no Ladis

Dados gerais do projeto

Gustavo Arcoverde

Evandro Albiach Branco

Julia Alves Menezes

Mariana G. A. da Paz

Eixo Predominante:

Resiliência Socioecológica

Políticas Públicas e Governança

Status:

Em desenvolvimento

Referências

COUTINHO, S.; RAMOS, R. R. Desafio presente: Mudanças climáticas e desastres naturais. In: Samia, N. S. e Jacobi, P. R. (orgs). Melhor prevenir: olhares e saberes para a redução de risco de desastre. São Paulo: IEE-USP, 2018, p. 40-47.

 

COUTINHO, R. M.; KRAENKEL, R. A.; PRADO, P. I. Catastrophic Regime Shift in Water Reservoirs and São Paulo Water Supply Crisis. Plos One, v. 10, n. 9, p. e0138278, 2015. Disponível em: <http://dx.plos.org/10.1371/journal.pone.0138278>.

 

ETINAY, N.; EGBU, C.; MURRAY, V. Building Urban Resilience for Disaster Risk Management and Disaster Risk Reduction, Procedia Engineering, Vol. 212, Pages 575-582, 2018.

 

INOSTROZA, L. Informal urban development in Latin American urban peripheries. Spatial assessment in Bogotá, Lima and Santiago de Chile. Landscape and Urban Planning, Vol. 165, Pages 267-279, 2017.

 

IPCC. Climate Change 2014: Synthesis Report. Contribution of Working Groups I, II and III to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. IPCC: Genebra, 2014a

 

JACOBI, P.R.; PAZ, M.G.A.; LEÃO, R.S.; ESTANCIONE, L.M.B. (2013): Water governance and natural disasters in the Metropolitan Region of São Paulo, Brazil. International Journal of Urban Sustainable Development, DOI:10.1080/19463138.2013.782705.

 

MARICATO, Erminia. Metrópoles desgovernadas. Estud. av.,  São Paulo ,  v. 25, n. 71, p. 7-22,  Apr.  2011 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142011000100002&lng=en&nrm=iso>. access on  18  Mar.  2021.  https://doi.org/10.1590/S0103-40142011000100002.

 

RANI, W.N.M.W.M. et al.  Climate Change Adaptation and Disaster Risk Reduction in Urban Development Plans for Resilient Cities. IOP Conf. Ser.: Earth Environ. Sci., Vol. 409, 2020. 012024. doi:10.1088/1755-1315/409/1/012024.

 

TAPIA, C.; ABAJO, B.; FELIU, E.; et al. Profiling urban vulnerabilities to climate change: An indicator-based vulnerability assessment for European cities. Ecological Indicators, v. 78, p. 142–155, 2017.