Marcos teóricos transversais

As diversas atividades científicas do LADIS são lastreadas por um conjunto de pressupostos teóricos transversais, divididos em 2 eixos

Untitled.png

Base epistemológica pluralista integrativa

Ciência

Pós-Normal

Sistemas Complexos Adaptativos

Pesquisa-ação

"Ciência com Política"

Co-design / co-produção do conhecimento

Abordagem sistêmica,

não linearidade e incertezas

O eixo que parte dos Sistemas Complexos Adaptativos suporta uma perspectiva de compreensão da realidade que parte de uma visão sistêmica, baseada em não linearidades e processos de feedbacks, bem como está sujeita à elevados níveis de incerteza. Para lidar com tal realidade, parte-se da composição de uma base epistemológica pluralista integrativa, nos termos propostos por Mitchell (2009).

De outro lado, as abordagens do LADIS buscam, de alguma forma e em alguma medida, o encontro com as bases da chamada Ciência Pós-Normal (Funtowicz & Ravetz, 1997), em específico à partir do movimento pela ampliação da comunidade de pares na construção do conhecimento sobre a realidade e sobre as dinâmicas da antroposfera. Neste sentido, o LADIS reconhece e atua para incluir, sempre que possível, a diversidade de conhecimentos não-acadêmicos, populares e tradicionais.

 

Este movimento visa, complementarmente, a busca pela redução das distâncias entre ciência e sociedade, incorpora elementos da pesquisa-ação (Thiollent, 2011) e da ciência-com-políticas, nos termos de Latour (2014, 2020).

FUNTOWICZ, S.; RAVETZ, J. Ciência pós-normal e comunidades ampliadas de pares face aos desafios ambientais. Hist. cienc. saude-Manguinhos,  Rio de Janeiro ,  v. 4, n. 2, p. 219-230,  Oct.  1997 . 

LATOUR, B. Para distinguir amigos e inimigos no tempo do Antropoceno. Revista de Antropologia 57 (1), 11-31, 2014.

LATOUR, B. Diante de Gaia: Oito conferencias sobre a natureza no antropoceno. Ed. Ubu, 2020.

MITCHELL, S. D. Unsimple Truths: Science, Complexity, and Policy. University of Chicago Press, 2009.

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-Ação. 18 Ed. São Paulo: Cortez, 2011.

Referencias